Arquivos do Blog

Qual a solução para a Igreja Brasileira?

Pensando em uma nova categoria de evangélicos que tem sido apontada hoje, “os evangélicos sem igreja” ou “os des-igrejados”, traço um panorama da atual realidade da igreja brasileira. Novos desafios, novas necessidades, um acelerado crescimento numérico, valores indefinidos e sem rumo certo. Essa é a nossa igreja, que ao mesmo passo que multiplica expressivamente sua quantidade de adeptos, posiciona-se de maneira irrelevante quanto ao seu contexto. As perguntas são: Do que precisamos para cumprir a nossa tarefa de sinalizar o reino de Deus e mudar ou pelo menos alvoroçar o mundo ao nosso redor?¹ E por onde começar a reforma do cenário cristão no Brasil?
As perguntas não são fáceis, mas me atrevo a esboçar uma resposta para as duas questões: precisamos de líderes preparados, é por eles que tal reforma irá começar. O novo testamento nos mostra que na igreja os ministérios são variados e apesar de não podermos nos apegar a modelos e estruturas prontas, devemos atentar para algumas características essenciais.
Primeiro necessitamos ser diversificados em nossos modos e formas. A igreja que deseja servir a comunidade precisa de tipos variados de líderes, se ela deseja responder perguntas como: “Qual é a relevância da igreja para a cidade?”, “O que a instituição eclesiástica pode fazer para mudar o contexto violento ao seu redor?”; é necessário que tenhamos pessoas preparadas nas mais diversas áreas de apoio a sociedade. O diferente completa.
Também há a necessidade de serem genuinamente bíblicos. Voltar às primícias do corpo de cristo, tendo como guia e manual predominantemente a Bíblia. É necessário que não abramos mão dos valores e princípios bíblicos em detrimento de modelos e métodos modernos, por mais que a dinâmica bíblica se adéque em relação ao fator tempo, cultura e contexto, temos que nos centrar e reformar sem perder as verdades eternas. Renovo, essa é a palavra, não abandonar o velho, mas em vez disso moldar a mensagem para que ela seja recebida de forma ideal pelo ouvinte, “olhante”, “experimentante”. Seja qual for o objetivo, a Bíblia tem a verdade perfeita para alcançá-lo.
Por ultimo ressalto a importância da transparência. Precisamos de líderes transparentes, pessoas de verdade, de “carne e osso”. Precisamos de líderes que tenham problemas, errem e se aproximem de seus liderados. Hoje e cada vez mais, não serão tolerados os líderes impessoais e “perfeitos”. Figuras de líderes, “sem mácula”, “super homens”, “semideuses”; serão rejeitados, pois estão distantes do povo, longe dos doentes. Precisamos de guias que sejam gente como a gente.
Finalizo confrontando o que escrevi a pouco, pois a mudança começará em nós, no nosso grau de exigência quanto aos nossos líderes, na nossa disponibilidade a ser tais líderes, de viver o cristianismo como ele deve ser, baseado na vida de Cristo. Fica aqui a frase de uma modelo famosa que um amigo me disse a um tempo: Seja você a mudança que espera nos outros.

(Adaptado de Revista Ultimato)

Anúncios

Reflexões de um dia diferente

Escrito em 27 de Fevereiro de 2012

Efésios 5.15-16 e Jonas 4
Hoje foi um dia um tanto quanto peculiar…
Três acontecimentos me chamaram atenção e me fizeram refletir nesse paradoxo chamado vida:
Primeiro foi acordar com a triste notícia do falecimento de Dom Robinson Cavalcanti. Ele e a esposa foram assassinados ontem em sua casa a facadas pelo próprio filho, envolvido com drogas.
O segundo fato aconteceu na parada de ônibus quando uma senhora ao perceber que eu não tinha carteira de meia passagem, ofereceu-se para pagar meu passe com seu vale digital que estava sobrando.
E por fim o terceiro fato, quando voltava da faculdade, percebi que a senhora que caminhava na minha frente estava muito inquieta e me ofereci para acompanhá-la até a parada, ela desconfiada aceitou e foi relaxando durante o trajeto.
Comecei o dia pensando como vivemos em um mundo mau, onde o pecado é latente e notícias trágicas estão se tornando comuns, os textos que li sobre o crime ficaram presos em minha memória, o choro pela vida de alguém que não conheci além da letra foi inevitável. Sentir a dor por aquela família e perceber que nem os homens mais usados por Deus estão livres da ira deste século.
Pensei que esta notícia e a tristeza seria a temática do meu dia, mas aí veio a tal senhora da parada de ônibus, me surpreendendo com a pergunta e a vontade de ajudar voluntaria. No meio da angústia e da escuridão apareceu um fecho de esperança para iluminar o dia, e apesar de pegarmos ônibus diferentes e aquela senhora não poder me ajudar, me fez acreditar que ainda há bondade aqui.
Por último vi que a desconfiança é perene na dinâmica desta sociedade e que no meio de pessoas boas e monstros, caridade e barbaridades, o que vive na cabeça de todo mundo é um grande ponto de interrogação quanto aos desconhecidos. Termino com um apelo, a mensagem de Cristo e a pregação da verdade libertadora do evangelho da graça de Deus não podem ser negligenciadas pela desconfiança ou pelo sentimento de irreversibilidade do mundo, este mesmo sentimento que estava no coração de Jonas não pode afetar nossos corações e o desejo e missão de anunciar a graça de Jesus Cristo. PENSE nisso, ORE por esse mundo e MUDE ele com a única coisa eficaz pra isso, JESUS!

%d blogueiros gostam disto: