Arquivo da categoria: Missão e Reino

Peixe fora d’água!

[Hoje é mais um texto da série desabafo, então não esperem um texto dos mais sofisticados e bem organizados, pois apenas derramei em letras o que estou sentindo.]

Hoje rolando a minha “timeline” em uma rede social me deparei com uma triste realidade, tenho 21 anos e faço parte de uma geração que sendo otimista chamo de pouco relevante. Temos um enorme poder de mobilização pela rede e estamos próximos como nunca, mas falta engajamento, falta uma causa! Fico pensando o quanto mais densas seriam as manifestações dos caras pintadas se eles tivessem a integração virtual que temos hoje.

Guiados por líderes que estão mais preocupados em nos manter nos bancos da igreja e fazer de mil malabarismos para que não percamos o interesse nela, vamos vivendo, ou melhor, sobrevivendo movidos a shows e eventos, sem perspectiva de deixar um legado. Não fazemos diferença alguma para o nosso contexto. Não sabemos bem no que cremos e não temos as respostas para as perguntas do mundo, nos falta tanto em teologia quanto em ideologia.

Hoje penso se sou eu que estou errado em estar triste vendo uma das maiores mobilizações em meu estado no meio denominacional para o que será um grande evento? Acho que o problema está em mim em ser tão utópico. Será que devo acompanhar a massa? NÃO CONSIGO!

Por fim oro pela minha geração e pelas que virão, pois somos o presente e sem presente não há futuro. Fico feliz em ser o estranho, pois apesar de não mudar mundo exterior, tenho o meu mundo interior transformado a cada dia pelo Espírito Santo que me incomoda cada vez mais. Vou me calar? Claro que não! Vou continuar sendo um louco no meio da multidão, vou continuar tentando mudar o mundo e posso não conseguir, mas pior que isso é chegar no final e não poder dizer… EU TENTEI!

“Precisamos preparar a igreja de amanhã para o peso que o mundo colocará nas suas costas e não anestesiá-los com uma falsa ideia de evangelho. Esse sim é o nosso desafio.” (Sérgio Pavarini)

“Depois que toda aquela geração foi reunida a seus antepassados, surgiu uma nova geração que não conhecia o Senhor e o que ele havia feito por Israel.”
(Juízes 2:10)

Anúncios

Qual a solução para a Igreja Brasileira?

Pensando em uma nova categoria de evangélicos que tem sido apontada hoje, “os evangélicos sem igreja” ou “os des-igrejados”, traço um panorama da atual realidade da igreja brasileira. Novos desafios, novas necessidades, um acelerado crescimento numérico, valores indefinidos e sem rumo certo. Essa é a nossa igreja, que ao mesmo passo que multiplica expressivamente sua quantidade de adeptos, posiciona-se de maneira irrelevante quanto ao seu contexto. As perguntas são: Do que precisamos para cumprir a nossa tarefa de sinalizar o reino de Deus e mudar ou pelo menos alvoroçar o mundo ao nosso redor?¹ E por onde começar a reforma do cenário cristão no Brasil?
As perguntas não são fáceis, mas me atrevo a esboçar uma resposta para as duas questões: precisamos de líderes preparados, é por eles que tal reforma irá começar. O novo testamento nos mostra que na igreja os ministérios são variados e apesar de não podermos nos apegar a modelos e estruturas prontas, devemos atentar para algumas características essenciais.
Primeiro necessitamos ser diversificados em nossos modos e formas. A igreja que deseja servir a comunidade precisa de tipos variados de líderes, se ela deseja responder perguntas como: “Qual é a relevância da igreja para a cidade?”, “O que a instituição eclesiástica pode fazer para mudar o contexto violento ao seu redor?”; é necessário que tenhamos pessoas preparadas nas mais diversas áreas de apoio a sociedade. O diferente completa.
Também há a necessidade de serem genuinamente bíblicos. Voltar às primícias do corpo de cristo, tendo como guia e manual predominantemente a Bíblia. É necessário que não abramos mão dos valores e princípios bíblicos em detrimento de modelos e métodos modernos, por mais que a dinâmica bíblica se adéque em relação ao fator tempo, cultura e contexto, temos que nos centrar e reformar sem perder as verdades eternas. Renovo, essa é a palavra, não abandonar o velho, mas em vez disso moldar a mensagem para que ela seja recebida de forma ideal pelo ouvinte, “olhante”, “experimentante”. Seja qual for o objetivo, a Bíblia tem a verdade perfeita para alcançá-lo.
Por ultimo ressalto a importância da transparência. Precisamos de líderes transparentes, pessoas de verdade, de “carne e osso”. Precisamos de líderes que tenham problemas, errem e se aproximem de seus liderados. Hoje e cada vez mais, não serão tolerados os líderes impessoais e “perfeitos”. Figuras de líderes, “sem mácula”, “super homens”, “semideuses”; serão rejeitados, pois estão distantes do povo, longe dos doentes. Precisamos de guias que sejam gente como a gente.
Finalizo confrontando o que escrevi a pouco, pois a mudança começará em nós, no nosso grau de exigência quanto aos nossos líderes, na nossa disponibilidade a ser tais líderes, de viver o cristianismo como ele deve ser, baseado na vida de Cristo. Fica aqui a frase de uma modelo famosa que um amigo me disse a um tempo: Seja você a mudança que espera nos outros.

(Adaptado de Revista Ultimato)

AMABILIDADE, MODERAÇÃO… PEQUENOS GESTOS

As cinco melhores de Fabricio Cunha!

Top 1: Sobre o amor e as expectativas

A expectativa sobre alguém, é uma grande tirana.

Ou se ama e se aceita o outro como ele é, ou não se ama.

Esse amor que aceita e inclui, é a porta de entrada e o solo seguro para a transformação alheia.

Geralmente, invertemos o processo, querendo transformar primeiro para, então, amar.

Sempre criamos expectativas… Só não podemos deixar que sejam o mediador em nossa relação com o outro.

Expectativa pela transformação, não gera amor, mas peso. É o amor que transforma.

Fabricio Cunha

Top 2: Levante-se e anda!

Jesus diz ao paralítico: “seus pecados estão perdoados… levante-se, tome o teu leito e anda…”

Dizemos, muitas vezes: “você pecou, deite-se em seu leito, pare de andar e não saia daí”.

Top 3: Chove

Ainda bem que está chovendo,

Poderei esconder as lágrimas que teimam em cair.

Ainda bem que está chovendo,

E o solo árido terá esperança de novo.

Ainda bem que está chovendo,

E as águas que caem levarão para longe o choro,

Lavarão com cuidado a alma,

Limparão com coragem o pó.

Ainda bem que está chovendo,

Pois chuva é sinal de esperança.

Ainda bem que está chovendo,

E que traga do céu boas notícias,

E que as espalhem sobre a terra,

E que deságue o bem, ainda bem

Que está chovendo.

Top 4: Diálogo de uma pessoa só…

“Alma minha, por que estás abatida? Por que estás inquieta e sem calma? Não tenhas medo. Olhe para Deus e logo o louvará de novo. Espere em Deus e Ele te devolverá o sorriso.”
Minha tradução do Salmo 42.5

“Às vezes é preciso diminuir a barulheira, parar de fazer perguntas, parar de imaginar respostas, aquietar um pouco a vida para simplesmente deixar o coração nos contar o que sabe. E ele conta. Com a calma e a clareza que tem.”
Caio Fernando de Abreu
Top 5:#UmaRapidaSobre “A Saudade”

A saudade é uma “quase pessoa”, que quando nos percebe sós, senta-se ao nosso lado e começa a contar histórias de quem sentimos falta. Enquanto conta, nos abraça. Enquanto abraça, nos aperta.

Fabricio Cunha

 

Para mais acesse: http://fabriciocunha.com.br/

Evangelho verdadeiro! Fabricio Cunha

Missão Integral – A Igreja como sinal do Reino.

Uma pergunta muito freqüente no universo cristão é “Qual o propósito de Deus para o seu povo?” E eu estendo essa questão perguntando “Qual deve ser a postura do cristão/comunidade cristã no mundo?

Nos séculos XIX e XX surgiram grandes evangelistas de massas que atraiam uma grande quantidade de pessoas, pregavam e anunciavam que vivessem e repassassem a mensagem; porém, no final deste período, surgiu uma nova idéia sobre missão, uma visão que anuncia essa anterior como incompleta, que leva em consideração o homem e suas circunstâncias, e no fato de que, se a fé diz respeito a eternidade, e não leva em consideração o histórico, ela é estéril e sem sintonia com o mundo pós-moderno. Esse novo pensamento é a missão integral.

O Reino de Deus é o domínio soberano dEle e nós somos o instrumento através do qual Cristo, o cabeça, exerce seu controle sobre tudo. A missão da igreja é manifestar aqui e agora a maior desindade possível do Reino de Deus que será consumado ali e além. O convite ao relacionamento pessoal com Deus é apenas uma parte da missão, a Missão Integral implica a ação para que Cristo seja o senhor sobre tudo, todos, e em todas as dimensões da existência humana, seja no âmbito espiritual, emocional, ou social.

Deus nos chama a ser sinais do seu Reino nesse mundo e Ele não está apenas salvando pessoas, mas está restaurando a raça humana da sua condição de pecado e do caos gerado por ele. “Assim como o Pai me enviou, também eu vos envio”; vamos dar continuidade ao ministério de Jesus de reconciliar o homem e o universo criado com o criador, salvar pessoas do inferno é sim o importante, mas salvá-las também de suas condições de inferno faz parte do nosso propósito nessa terra.

“O evangelho todo, para o homem todo, no mundo todo.”

Lema da missão Integral

“Corpo sem alma é defunto, alma sem corpo é fantasma.”

Autor desconhecido

Texto Criado para o blog Revista Zion em agosto de 2011

%d blogueiros gostam disto: